A Ecomarapendi é a ONG (organização não-governamental) responsável pela Recicloteca. Além do centro de informações de meio ambiente e reciclagem, oferece diagnóstico participativo, estudos de impacto ambiental e de vizinhança, treinamento e capacitação.

Entre em contato pelos telefones (21) 2551-6215 ou 2552-6393
ou pelo email contato@ecomarapendi.org.br

Fechar janela

Reciclagem de Papel artesanal: passo-a-passo ilustrado

A reciclagem de papel artesanal é uma técnica de fácil e prática de se aprender e se divertir com uma atividade ambiental que fascina crianças, adolescentes e adultos.

O papel nada mais é que um emaranhado de fibras vegetais. Ao transformar papel usado em novo, estamos na verdade desfazendo essa trama e entrelaçando as fibras novamente.

A partir do papel artesanal, é possível confeccionar papéis de carta, marcadores de livros, porta-retratos, porta-lápis, capas de caderno, livros, cartões de visitas, envelopes, convites, papel e embalagens de presentes, entre muitas outras possibilidades.

Entre os tipos de papel que podem ou não ser reciclados artesanalmente, temos:

RECICLÁVEIS:  NÃO RECICLÁVEIS:
 Folhas de caderno, formulários de computador, envelopes, rascunhos, caixas em geral, aparas de papel, fotocópias, papel de fax, cartazes e folhetos Jornais e revistas, papel carbono, fita crepe, papéis metalizados, papéis parafinados, papéis plastificados, papéis sanitários, “papel” de bala, embalagens de biscoitos, papéis sujos, etiqueta adesiva, tocos de cigarro e fotografias

 

O que você precisa para a Reciclagem de Papel Artesanal:

 

  • Papel usado dos dois lados e água
  • Bacias: rasa e funda
  • Balde
  • Moldura de madeira com tela de nylon ou peneira reta
  • Moldura de madeira vazada (sem tela)
  • Liquidificador
  • Jornal ou feltro
  • Pano (ex.: morim)
  • Esponjas ou trapos
  • Varal e pregadores
  • Prensa ou duas tábuas de madeira
  • Peneira côncava (com “barriga”)
  • Mesa

 

Etapas da Reciclagem de Papel Artesanal:

A – Preparando a polpa:

Pique o papel e deixe de molho durante um dia ou uma noite na bacia rasa, para amolecer. Coloque água e papel no liquidificador, na proporção de três partes de água para uma de papel. Bata por dez segundos e desligue. Espere um minuto e bata novamente por mais dez segundos. A polpa está pronta.

 

B – Fazendo o papel:

?

1.


Despeje a polpa numa bacia grande, maior que a moldura. reciclagem de papel
2.


Coloque a moldura vazada sobre a moldura com tela. Mergulhe a moldura verticalmente e deite-a no fundo da bacia. reciclagem de papel
3.


Suspenda-as ainda na posição horizontal, bem devagar, de modo que a polpa fique depositada na tela. Espere o excesso de água escorrer para dentro da bacia e retire cuidadosamente a moldura vazada. reciclagem de papel
4.


Vire a moldura com a polpa para baixo, sobre um jornal ou pano. reciclagem de papel
5.


Tire o excesso de água com uma esponja. Sem esfregar, só pressione para baixo! reciclagem de papel
6.


Levante a moldura com cuidado, deixando a folha de papel artesanal ainda úmida sobre o jornal ou morim. reciclagem de papel

 

C – Prensando as folhas

 

 

Para que suas folhas de papel artesanal sequem mais rápido e o entrelaçamento das fibras seja mais firme, faça pilhas com o jornal da seguinte forma:

  • Empilhe três folhas do jornal com papel artesanal. Intercale com seis folhas de jornal ou um pedaço de feltro e coloque mais três folhas do jornal com papel. Continue até formar uma pilha de 12 folhas de papel artesanal.
  • Coloque a pilha de folhas na prensa por 15 minutos. Se não tiver prensa, ponha a pilha de folhas no chão e pressione com um pedaço de madeira.
  • Pendure as folhas de jornal com o papel artesanal no varal até que sequem completamente. Retire cada folha de papel do jornal ou morim e faça uma pilha com elas. Coloque esta pilha na prensa por 8 horas ou dentro de um livro pesado por uma semana.

Efeitos decorativos na Reciclagem de Papel Artesanal

cacos

–  Misture à polpa: linha, gaze, fio de lã, casca de cebola ou casca de alho, chá em saquinho, pétalas de flores e outras fibras.-  Bata no liquidificador junto com o papel picado: papel de presente, casca de cebola ou de alho.-  Coloque sobre a folha ainda molhada: barbante, pedaços de cartolina, pano de tricô ou crochê. Neste caso, a secagem será natural – não é necessário pressionar com o pedaço de madeira.-  Para ter papel colorido: bata papel crepom com água no liquidificador e junte essa mistura à polpa.  Outra opção é adicionar guache ou anilina diretamente à polpa.

Dicas importantes

– A tela de nylon deve ficar bem esticada, presa à moldura por tachinhas ou grampos.

–  Reutilize a água que ficar na bacia para bater mais papel no liquidificador

– Conserve a polpa que sobrar: peneire e esprema com um pano. Guarde, ainda molhada (em pote plástico no congelador) ou seca (em saco de algodão). A polpa deve ser ainda conservada em temperatura ambiente.

Assista ao vídeo com todas as etapas explicado pela nossa consultora Naira Tavares:

Saiba mais:

Papel: história, composição, tipos, produção e reciclagem

Consciente Coletivo – Papel – Ep. 3

De onde vem o papel?

O papel da árvore

Reciclagem Industrial de Papel

Este texto está protegido por uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
Link para atribuição de créditos: http://www.recicloteca.org.br/?p=17584

Gostou desse post?

A Ecomarapendi é a ONG (organização não-governamental) responsável pela Recilcoteca. Além do centro de informações de meio ambiente e reciclagem, oferece diagnóstico participativom estudos de impacto ambiental e de vizinhança, treinamento e capacitação.

Assuntos relacionados

Compartilhe nas redes sociais

Deixe um comentário