A Ecomarapendi é a ONG (organização não-governamental) responsável pela Recicloteca. Além do centro de informações de meio ambiente e reciclagem, oferece diagnóstico participativo, estudos de impacto ambiental e de vizinhança, treinamento e capacitação.

Entre em contato pelos telefones (21) 2551-6215 ou 2552-6393
ou pelo email contato@ecomarapendi.org.br

Fechar janela

Papel: história, composição, tipos, produção e reciclagem

Sua História

C. PapyrusOs registros pré-históricos de desenhos e sinais nas pedras e cavernas foram o início de uma história contínua que retrata a cultura e os hábitos de cada sociedade.

Na Antiguidade, o povo egípcio desenvolveu uma forma de utilizar o junco (papiro), ensopando-o com água e sovando até obter uma forma de pergaminho, com espessura semelhante a um tecido.

papel

Mas o papel, tal como o conhecemos hoje, teve origem na China: misturando cascas de árvores e trapos de tecidos. Depois de molhados, eram batidos até formarem uma pasta.

Esta pasta, depositada em peneiras para escorrer a água, depois de seca tornava-se uma folha de papel.

Ainda hoje os trapos de algodão e linho são utilizados por alguns países na fabricação de papéis resistentes, como o papel-moeda.

Os árabes assimilaram a técnica e a espalharam na Península Ibérica, quando a conquistaram (isto se iniciou lá por 1300). Os demais países europeus só a conheceram por volta dos séculos XIII e XIV.

Graças ao trabalho de copiar manuscritos, na Idade Média, em formas artesanais de papel, foi possível conservar os mais importantes registros da história da humanidade até então. Com a invenção da “imprensa”, permitindo a impressão por linotipos em papel, a disseminação da informação passou a ser muito mais veloz e acessível a todos, e a Revolução Industrial impulsionou ainda mais essas mudanças; hoje o papel talvez seja o produto mais utilizado e corriqueiro.

Composição

Atualmente, a maior parte dos papéis (95%) é feita a partir do tronco de árvores cultivadas; as partes menores, como ramos e folhas, não são aproveitadas, embora as folhas e galhos possam também ser utilizados no processo. No Brasil o eucalipto é a espécie mais utilizada, por seu rápido crescimento, atingindo em torno de 30 m de altura em 7 anos.

O papel é formado por milhões de fiapos que vêm de plantas, que chamamos de FIBRAS. (você pode fazer uma experiência simples, rasgando uma folha de papel e observando a borda irá notar os fiapinhos). Existem vários tipos de papel. Ele pode variar em peso, espessura, entre outras coisas.

Mas é sua estrutura porosa, semelhante a algumas rochas (como a pedra pome), que lhe dá características especiais, diferenciando-o dos tecidos de algodão.

Tipos de Papel

TIPOS

APLICAÇÕES

Cartões perfurados

Cartões para computação de dados;

Branco

Papéis brancos de escritório, manuscritos, impressos, cadernos usados sem capas;

Kraft

Sacos de papel para cimento, sacos de papel de pão;

Jornais

Jornais;

Cartolina

Cartão e cartolina;

Ondulado

Caixa de papelão ondulado;

Revistas

Revistas;

Misto

Papéis usados mistos de escritórios, gráficas, lojas comerciais, residências;

Tipografia

Aparas de gráficas e tipografias.

CAIXA DE PAPELÃO ONDULADO

A caixa de papelão ondulado tornou-se uma das mais importantes e conhecidas embalagens nas últimas décadas. Resistente, leve e de fácil obtenção, tem a maior parte de sua produção – cerca de 80% – advinda da recuperação do papel velho. A produção mundial de 1998 foi de 1 bilhão e 600 milhões de toneladas, com uma taxa de reciclagem de 71,6%, uma das maiores do mundo se comparada a outras embalagens.

Dentre seus maiores consumidores estão as indústrias de produtos alimentícios e bebidas, eletrodomésticos, fruticultura e avicultura.

O papelão é reciclado no Brasil há muitas décadas e tem reaproveitado mais de 1,6 milhão de toneladas de aparas de papel velho por ano. No entanto, muito se desperdiça: o papelão ainda representa cerca de 5% dos resíduos sólidos urbanos coletados.

Composição

Diferente de outras caixas de papelão, a caixa de papelão ondulado é feita de várias combinações de papéis que compõem a capa e o miolo – papel-capa e papel-miolo. São realizados diversos testes físicos, quanto ao desempenho que se deseja da embalagem.

papel

Reciclagem

Para enviar as embalagens de papelão para a reciclagem, é necessário:

1. Desmontar a caixa, obedecendo aos vincos das dobras, a fim de diminuir o volume e facilitar o armazenamento.

2. Retirar, se possível, quaisquer adesivos, fitas e/ou grampos, para reduzir a quantidade de elementos contaminantes do processo.

Na reciclagem do papelão ondulado, o aparista ou papeleiro tem grande importância; é ele o responsável pela triagem e qualidade do material destinado às indústrias recicladoras.

Reaproveitamento

As fibras de melhor qualidade são utilizadas para o papel-capa, isto é, para as partes externas. As de qualidade inferior servem para produzir o papel-miolo.

Dependendo das características do produto a ser embalado, são utilizados diferentes acessórios, os quais complementam a proteção para estocagem ou transporte; são os separadores, tabuleiros, divisões, reforços de canto, etc.

A reutilização dessas embalagens já é tradicional no Brasil. Os supermercados e atacadistas, que são grandes usuários, formam a rede de reaproveitamento existente. Faz parte da rotina de transporte e distribuição recolhê-las de volta devidamente desmontadas e acondicionadas.

Para saber mais sobre o assunto entre em contato com:

ABPO (Associação Brasileira do Papelão Ondulado)

Tel.: (11) 3831-9844 – e-mail: abpo@abpo.org.br

www.abpo.org.br

ABRE (Associação Brasileira de Embalagem)

Rua Oscar Freire, 379 – 15º andar – Conj. 152

São Paulo, SP – 01426-001

Tel.: (11)30282-9722 – Fax: (11) 3081-9201

www.abre.org.br

Produção

A madeira é processada, formando uma pasta celulósica. Na seqüência ela pode sofrer processo de clareamento, impregnação ou revestimento (com outras substâncias como plástico, parafina, etc). Estes processos são realizados de acordo com o papel que se deseja obter. Veja abaixo o esquema da produção do papel:

papelModificado de 5 Elementos, 1995 1 –  Os troncos são descascados;

2 –  Picados;

3 –  Digestores: cozimento em soda cáustica;

4 –  Pasta celulósica e água;

5 –  Prensagem e secagem;

6 – Aditivos.

Reciclagem

Os papeis usados, juntamente com rebarbas de papéis que sobram das indústrias, são chamados de aparas e são a matéria-prima para a produção de novos artefatos no processo de reciclagem. Alguns produtos podem ser feitos com 100% de papel reciclado, já outros ainda necessitam da adição de fibras virgens.

No processo, as aparas são limpas, descoloridas e alvejadas (em alguns casos). Após esta etapa obtém-se a pasta celulósica que precisa ser refinada e, em alguns casos, adicionada de fibras virgens.

O QUE PODE SER RECICLADO

  • caixa de papelão ondulado;
  • jornais e revistas;
  • fotocópias;
  • folhas de caderno;
  • envelopes;
  • formulários de computador;
  • provas;
  • caixas em geral;
  • rascunhos;
  • aparas de papel;
  • cartazes velhos;
  • papel de fax.

Observação importante: os papéis combinados com outros materiais (plastificados, metalizados, papel carbono, etc), ou muito sujos de graxa, gordura, alimentos, e também os papéis higiênicos, não devem ser misturados com os indicados acima.

Quer fazer sua própria folha de papel? Clique no link abaixo e veja um passo-a-passo de como fazer a reciclagem artesanal do papel:

Reciclagem de Papel artesanal: passo-a-passo ilustrado

E ainda pode aprender assistindo a esse vídeo com um tutorial:

ÍNDICE DE RECICLAGEM DE PAPEL NO BRASIL

2010

43,5%

2012

45,7%

2015

60%

2016

64,5%

FIQUE POR DENTRO:

O papel é largamente utilizado no mundo inteiro e corresponde a aproximadamente 20% dos resíduos produzidos pelo brasileiro. Mesmo na era da informática sua produção e consumo para impressão e escrita praticamente dobrou nos últimos dez anos (1993-2003).

  • Para ficar branquinho o papel sofre um clareamento químico que é um dos processos mais poluentes dessas indústrias. Uma alternativa é o Papel Ecograph, que é clareado a oxigênio e as folhas ficam com coloração creme.
  • O desperdício de papel pode ser constatado desde a indústria (no caso de excesso de embalagens e embalagens muito volumosas para pequenos produtos) até os escritórios e residências (ex: impressões em apenas um dos lados da folha e/ou desnecessárias). Apenas adotando o uso do papel dos dois lados podemos reduzir em até 50% o uso de papéis para impressão e escrita, e consequentemente reduziremos também todos os impactos causados desde a extração até o descarte desse material.
  • Consome-se em média 100.000 litros de água por tonelada de papel fabricado, mas produzir 1 tonelada de papel reciclado precisa-se de 2 mil litros de água.
  • Para produzir 1 tonelada de papel é necessário 5 mil KW/h de energia, mas a mesma tonelada de papel reciclado consome-se de 1.000 a 2.500 KW/h de energia.
  • A produção de papel reciclado evita a utilização de processos químicos poluentes, reduzindo em 74% os poluentes liberados no ar e 35% os despejados na água.
  • A cada 28 toneladas de papel reciclado evita-se o corte de 1 hectare de floresta, ou seja, 1 tonelada evita o corte de aproximadamente 30 árvores. Alguns estudos indicam que a fibras podem ser recicladas de 7 a 10 vezes.
  • Para produzir 1 tonelada de papel novo são necessários de 25 a 30 eucaliptos adultos.

Saiba mais em:

Reciclagem de papel artesanal

De onde vem o papel

Consciente Coletivo – papel

 

 


Agora você pode ser um apoiador do Projeto Recicloteca.

Já imaginou poder contribuir para semear a educação ambiental por aí?

Agora você pode!

Não importa o valor da doação, o que importa é ajudar a difundir informações sobre coleta seletiva, meio ambiente em geral e reciclagem. Todas as doações terão uma recompensa!!

Acesse o site abaixo e saiba mais:
https://apoia.se/recicloteca

Este texto está protegido por uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
Link para atribuição de créditos: http://www.recicloteca.org.br/?post_type=material-reciclavel&p=72

Gostou desse post?

A Ecomarapendi é a ONG (organização não-governamental) responsável pela Recilcoteca. Além do centro de informações de meio ambiente e reciclagem, oferece diagnóstico participativom estudos de impacto ambiental e de vizinhança, treinamento e capacitação.

Assuntos relacionados

Compartilhe nas redes sociais

Deixe um comentário