A Ecomarapendi é a ONG (organização não-governamental) responsável pela Recicloteca. Além do centro de informações de meio ambiente e reciclagem, oferece diagnóstico participativo, estudos de impacto ambiental e de vizinhança, treinamento e capacitação. Entre em contato pelo email contato@ecomarapendi.org.br
Fechar janela

Febre amarela: os macacos, os mosquitos e o ser humano

Vamos direto e reto ao ponto crucial! A Febre Amarela não está sendo transmitida pelos macacos, mas pelos mosquitos. Macacos são vítimas como nós, seres humanos. Se alguém acha que matar macacos, mesmo sem saber se eles estão com a doença é uma forma de se precaver então o receio é que comecem a matar as pessoas infectadas, pois elas estão muito mais próximas de nós que os macacos. Claro que é um raciocínio medíocre e que não será concretizado (espera-se!), mas ilustra muito bem o quanto a ignorância coletiva prejudica nossa capacidade de dar respostas adequadas aos desafios ambientais e sociais do século XXI.

Nosso amigo André Trigueiro pontuou muito bem, informando por redes sociais que “os macacos são sentinelas, biomarcadores da presença do vírus da febre amarela. Quando macacos morrem pela doença, as autoridades de saúde conseguem acionar protocolos de resposta (isolamento da área, vacinação da população, etc) que evitam a expansão do vírus entre humanos. Os macacos são vítimas como nós. O que devemos fazer é exterminar os focos do mosquito. Simples assim.” Veja matéria completa do RJTV.

E continua explicando que se as palavras não são suficientes para sensibilizar a população e as autoridades, talvez as imagens o façam. Republicamos aqui as imagens menos impactantes (!) de parte dos 104 macacos mortos com violência ou envenenamento. Incluindo o mico-leão-dourado, espécie em risco de extinção e que jamais teve um indivíduo infctado pela febre amarela.

febre amarelafebre amarelafebre amarela

 

 

 

 

 

Em verdade parte da culpa por não termos maiores informações e pelo pânico provocado na população, que lota postos de saúde Brasil afora tentando conseguir a vacina, é da própria mídia que prefere explorar o sensacionalismo da epidemia e das mortes do que ajudar a esclarecer adequadamente a todos. Por favor, não passe adiante notícias alarmistas, pois muitas pessoas acabam tomando decisões equivocadas como correr para postos de saúde mesmo que não passe por áreas de risco. Ou pior, que pratiquem atos de crueldade ao exterminar macacos sumariamente.

O vídeo abaixo explica detalhadamente como o vírus chegou ao sudeste e como so macacos ajudam a proteger a população humana.

É o mosquito que transmite a Febre Amarela!!

É preciso combater o mosquito e não os macacos, como não se deve esquecer do Aedes aegypti, transmissor de Dengue, Zika e Chikungunya, que juntas matam mais que a Febre amarela em todo o país.

E a propósito: cresce a probabilidade de que este surto tenha sido causado ou agravado pela trágedia de Mariana, quando o rompimento da barragem de detritos da Mineradora Samarco do Grupo Vale, matou o Rio Doce, causando um brutal e imediato  desequilíbrio ecológico. Este crime ambiental pode ter reunido as condições para um aumento no número de mosquitos do gênero Haemagogus, transmissor da febre amarela silvestre. No ambiente urbano a febre amarela é transmitida pelo Aedes aegypti, o mesmo de Dengue, Zika e Chikungunya.

Não resta a menor dúvida que somos uma espécie com momentos de absoluta genialidade e capacidade de criar maravilhas e resolver imensos problemas. Mas também podemos nos tornar seres deploráveis, predadores ignorantes e bestiais de uma natureza generosa que está disposta a nos proporcionar tudo o que precisamos (e mais!). Só temos que respeitá-la para não sofrer com as consequências naturais,

“Na terra há o suficiente para satisfazer as necessidades de todos, mas não para satisfazer a ganância de alguns.” – Mahatma Gandhi

Saiba mais:

Debate na Rádio MEC AM no Programa Bate Papo.Com com Clayton Gitti, professor de Doenças Infecciosas da UFRRJ, e Adilson Gil, biólogo e superintendente substituto do IBAMA-RJ.

Valor total da natureza chega a US$ 100 trilhões anuais

 

Desastre de Mariana: Os impactos ambientais e seus motivos


Já imaginou poder contribuir para semear a educação ambiental por aí?

Agora você pode! Seja um apoiador do Projeto Recicloteca!

Não importa o valor da doação, o que importa é ajudar a difundir informações sobre coleta seletiva, meio ambiente em geral e reciclagem. Todas as doações terão uma recompensa!!

Acesse o site abaixo e saiba mais:
https://apoia.se/recicloteca

 

 

Este texto está protegido por uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
Link para atribuição de créditos: http://www.recicloteca.org.br/?p=20288

Gostou desse post?

A Ecomarapendi é a ONG (organização não-governamental) responsável pela Recicloteca. Além do centro de informações sobre meio ambiente e reciclagem, oferece diagnóstico participativo, estudos de impacto ambiental e de vizinhança, treinamento e capacitação.

Assuntos relacionados

Compartilhe nas redes sociais

Deixe um comentário